Relatório

Hoje, que pela hora já foi ontem, tive um dia cheio!
Depois de uma reunião de trabalho gigantesca, mas que correu bem, recebo um convite para jantar que me soube muito bem!
Entre um acontecimento e o outro, tive tempo para passar por casa numa corridinha. E adivinhem lá o que encontrei na minha caixa de correio? Isso mesmo, 6 meses e um dia depois lá estava o relatório da Maternidade.
Confirma o que já sabíamos, a Matilde tinha uma triploidia e "apenas" isso. Não havia mais nada que possa pôr em causa uma futura gravidez. Apenas tenho que ter em consideração alguns aspectos relacionados com a minha idade e com a escoliose da Mariana, pois parece que esta, de certa forma, estará relacionada com um problema genético...
Quando peguei na carta tremia toda. Assim que vi: Relatório, comecei a descansar, afinal se houvesse algo mais grave não estaria a receber um relatório mas a convocação para uma consulta, depois chorei de alivio... Afinal, se agora vier um positivo, poderei ter outra tranquilidade.
Claro que o medo estará lá, depois de uma perda nunca mais conseguimos vive uma gravidez sem esse peso, mas, e como diz o Dr. L., assim fazemos as coisas como deve ser...

Comentários

Sandra disse…
Olá.
Descobri o teu blog numa pesquisa no google acerca da triploidia. Não sei se é um tema que te sentes com vontade de falar mas eu escrevo-te porque tive uma gravidez de gémeos com triploidia que terminou o mês passado.
Nunca tinha ouvido falar sobre isto até que o balde de agua fria me caiu em cima. Pelos tiveste uma experiência semelhante à minha. Eu ainda espero a consulta de genética na MAC lá para outubro e por isso tudo isto para mim ainda é uma incógnita.
Podes-me dizer o que sabes sobre este problema?

Obrigada
Maria disse…
Olá Sandra,
Fizeste bem em escrever. Sei pelo que estás a passar e claro que estou disponível para te dizer tudo o que sei e que te possa ajudar.
Tal como tu, também nunca antes tinha ouvido falar em triploidia e confesso que gostava de continuar nessa ignorância, mas a vida não quis assim.
O que te posso dizer... A triploidia não é uma mutação genética, nem se trata de qualquer acidente no momento da formação. Pode dar-se por vários motivos mas, geralmente, quando apenas se detecta no 2º trimestre, deve-se à não divisão de um óvulo no momento da formação deste, ou seja, no meu caso já nasci com ele assim. Na roda da sorte e do azar, calhou ser esse o fecundado.
Na consulta de genética, foi-me dito que estes casos são raros e incompatíveis com a vida. O facto de ter acontecido, e não estando associada a mais nenhuma malformação, não aumenta a probabilidade de se repetir, de tal forma que nem "obriga" a uma amniocentese numa gravidez seguinte.
Claro que tudo isto nos pode tranquilizar até certo ponto, mas não tira o vazio com que ficamos, nem a dor da perda.

Se quiseres conversar mais, estou aqui para o que precises, mas talvez seja mais fácil por mail ou msn, se quiseres aqui fica: miconvs@hotmail.com

bjs grandes e muita força, não te esqueças, estou aqui...