Memórias...

Às vezes, muitas, é difícil pôr por palavras aquilo que nos vai na alma.
Penso muitas vezes até que ponto parece doentio, ou qualquer coisa parecida, este relembrar de datas.
Não pretendo fazer deste espaço um “memorial”, um muro de lamentações, mas há datas, acontecimentos, dos quais, por mais que tente, não me consigo abstrair.
Estes foram momentos vividos com muita intensidade há um ano atrás. Momentos que, inevitavelmente, deixaram a sua marca para sempre!
Não sei como os vivi, como os ultrapassei, como sobrevivi…
Foi praticamente o espaço de um mês que me trouxe a sensação de uma vida inteira. Um tempo que teimava em não passar mas que, ao mesmo tempo, corria demasiado depressa… Um tempo que não queria viver mas para o qual não tive alternativa…
A vida, às vezes, prega-nos partidas…
Não, não sou mal agradecida! Sei olhar à minha volta e reconhecer o que tenho de bom e todos os dias agradeço o que essa mesma vida, que por vezes nos trata tão mal, me foi trazendo, me foi dando. Especialmente o meu “milagre” e a possibilidade de ser mãe de um filho no colo!
Mas um facto não anula outro, e a partida precoce dos meus bebés deixou marcas profundas, alterou, de certa forma, a minha maneira de estar na vida. Entre outras coisas, umas melhores e outras piores, ficou um vazio, um vazio que nunca será preenchido e com o qual tenho que aprender a viver.
E essa parte de mim, neste momento, precisa destas datas, de deixar o registo destas memórias que me enchem. Que num momento, por um nada, me levam o sorriso e trazem as lágrimas, mas que, por vezes, também elas me trazem esse sorriso! E como é bom quando isso acontece…
Por isso, e enquanto sentir essa necessidade, aqui continuarão a ficar marcadas. Porque é o que tenho dos meus filhos, porque é o que preciso para seguir em frente…
Até ficar apenas a Saudade…
Para Sempre…

Comentários

Lena disse…
Que te posso dizer???!!!

Estou de lágrimas nos olhos lagrimas de saudade...

Sei como doiem todas essas datas que nos trazem á memória os piores dias das nossas vidas...

Só peço a deus que em breve possa chorar contigo lágrimas de felicidade e de vida uma vida que ACREDITO erás nos braços!!!
marta disse…
Linda
Que estas memorias nos façam crescer e viver o dia a dia com toda a intensidade!
Não desistas...somos lutadoras e portanto vamos conseguir!
Eu acredito e quero que acredites comigo.
Um beijo Grande
Mocas disse…
Olá,

Acho que qualquer mãe que tenha perdido filhos ainda na barriga te compreende. Eu compreendo. Raramente falo nisso, mas os meus filhos que não chegaram a nascer estão sempre aqui, no meu coração.

bj grande e solidário