Eu e Deus

Estava a escrever um post a atirar para o depressivo, quando vi isto aqui, depois aqui e por fim neste. Gostei tanto que não resisti e tratei de pensar na minha vida e nas "minhas experiências com Deus". Foi-se embora o estado depressivo que se instalava e pus mãos à obra! Baseei-me especialmente na Mónica Marques, porque gostei daquela abordagem, o lado bom e o lado mau, é que a vida é feita de tudo isso e só no todo podemos avaliar essa "experiência"

I
Quando fui mãe e me senti parte de um acontecimento único, de coração transbordante de felicidade e amor incondicional para sempre. A magia de um livro. O calor do Sol na minha pele. As tuas mãos. Os amigos que estão lá. O primeiro pontapé da Mariana. O Verão. Estar lá para os amigos. Churros com chocolate quente. O mestrado. São Pedro e o projecto. Paz. A música que arrepia. O primeiro pontapé da Matilde. A minha avó pequenina mas tão grande em tudo. As livrarias em que me perco. As estrelas. Sintra. Cerejas. As minhas sobrinhas. Tu. Natal. O cheiro dos pinheiros. O pó da terra. Mérida. Um desafio ultrapassado com êxito. Framboesas. Quando a consulta da Mariana corre bem. Pedro Abrunhosa. Drumond de Andrade. U2. Clarice Lispector. Pessoa. Pablo Neruda. Pink Floyd. Rodrigo Leão. Mariza. Bibliotecas. Um programa mãe e filha. Violetas. Cinema. Mergulhos no mar e depois deitar na areia sentindo o mundo rodar. Sexo com amor. Uma esplanada. Gelados. O calor da lenha a arder na lareira. Beijos. Quando ela diz “mãe, não gosto de ti, adoro-te!”. Os passeios a três. Eu encostada a ti. A Missa do Galo na Lapa. Pastéis de bacalhau com arroz de grelos. Lisboa. Bach. Chopin. Mozart. Beethoven. Haydn. Tchaikovsky.Gounod. A Mariana a dançar. Coimbra. Fado. O aconchego do meu canto. Os travesseiros do Preto. Detmold. A tua mão na minha. Uma tarefa terminada. Sorrisos. Amizade verdadeira. Sopa de grão. Londres. Neve. Katie Melula. Susana Felix. Rita Redshoes. Caetano Veloso. Leonard Cohen. Lisa Gerrard. Queen. Nora Jones. Toledo. O Quebra-nozes. O canto das cigarras. Almoinha. Capinha. Infância. O cantar antigo da aldeia. A memória dos meus filhos que guardo no coração. A Mariana a crescer. O cheiro da terra molhada depois das primeiras chuvas. Sonhos. Esperança. O teu cheiro. Gargalhadas. Lágrimas de felicidade. Magnólias. Arco-íris. Um coração a bater. Amor. Vida. Nós, que somos dois, que somos três, que somos seis.

II
A perda de um filho. Decisões que não deveríamos ter que tomar. Infertilidade. Guerra. Fome. Triploidia. Pedofilia. Terrorismo. Ratos. Dióspiros. Escoliose. Frio. Preguiça. Cancro. Crianças maltratadas. Genocídio. Mentira. Droga. Hipocrisia. Saltos de agulha. Alzheimer. Os dias pequenos. A sala de espera de um consultório. Rock da pesada. O fundamentalismo seja ele qual for. Os programas da manhã na televisão. Carnaval. Terramotos, tsunamis, furacões e outros cataclismos. A má educação. O desrespeito pelo outro. Egoísmo. Inveja. Maldade. Hitler. Estaline. Mao. Ditaduras, seja qual for a sua natureza. Medo. Insegurança. O sofrimento. Os “presentes” que salpicam os passeios. Lágrimas de dor. Solidão. Racismo. Desemprego. Psicopatas. Burocracia. Velhinhos maltratados. Prepotência. Intolerância. Mesquinhez.

III
Colocando tudo isto nos pratos de uma balança acredito, como Mónica Marques, que Ele ande por aqui, embora uns dias mais outros dias menos. Há circunstâncias na vida que, por nos magoarem tanto, nos deixam zangados. E a mim parece-me que ainda não consegui fazer totalmente as pazes depois desta última vez… Mas vou caminhando para isso, até porque a vida só por si, desde o mais pequenino e invisível ser vivo até ao maior do universo, constitui milagre suficiente. Não consigo atribuir todo o equilibro necessário à sua existência e funcionamento apenas a um acaso, preciso de lhe dar um sentido e esse, encontro-o n’Ele. Como diz Drummond de Andrade, há muitas razões para duvidar e uma só para crer.

 lustração de Becky Kelly

Comentários

teia d'aranha disse…
Ficou lindo! Sempre que colocamos o nosso coração e alma nas palavras, o resultado é belíssimo e comovente...

Um beijo
Maria disse…
É verdade.E este é um bom exercício para nos fazer ver, e lembrar, quantas coisas boas, pequenas e grandes,temos na nossa vida. Fez-me muito bem!

bjs e obrigada
mãeee disse…
fICOU SIMPLESMENTE LINDO!
Beijo grande
PauLLa disse…
LINDOOOOOOOOOOOOOOO
bjs ;)
Madame Pirulitos disse…
Sabes que chorei ao ler isso, ao ler os outros.
Estou a fazer o meu.

Muitos, muitos beijinhos e obrigada pela preocupação.