Mais do domingo...

Ontem podia ter escrito tudo e fazer um post tripartido... Depois pensei e achei que não, tudo tem o seu tempo e ontem era dia de coisas boas. Assim ficaram para hoje os dois pontos tristes deste domingo.

A ausência da avó, já esperada pois não há esperança de grande recuperação deste último AVC. Continua hospitalizada, semi-consciente, não fala, não anda e é alimentada por uma sonda. É triste assistir a este definhar, de alguém que conhecemos cheia de uma vida muito própria...

O saber que, afinal, já não vou ser novamente tia em Dezembro.
A H. também não esteve presente, ficou em casa onde se fechou para o mundo, não quer ver ninguém, não quer estar com ninguém... O N. foi à cerimónia, afinal era o pai um dos homenageados, mas tão triste, tão cheio daquele ar de menino perdido, desorientado, ainda incrédulo. Tão empenhado no seu papel de companheiro e apoio da sua H. mas também ele tão necessitado de um ombro onde se apoiar...
O falhanço do primeiro tratamento foi difícil mas, depois do impacto inicial, seguiu-se em frente e começou-se a fazer planos. Desta vez é diferente, desta vez houve um positivo, desta vez houve esperança, deslumbramento. A ecografia de controle deitou tudo isto por terra, o embrião não evoluiu como devia, nova ecografia será feita esta semana para confirmar, mas já com muito poucas esperanças  de um desfecho diferente.
Fiquei triste, muito, com um aperto aqui do lado esquerdo e uma sensação de angústia que me acompanha desde que soube, e voltam a surgir os "porquês" sem resposta... Sim, eu sei, há sempre mil e uma explicações e possibilidades mas nenhuma é uma resposta concreta a esse "porquê", apenas posso pensar na tal história do xanax.

Comentários

Ana disse…
um beijinho de força
Martense disse…
:(

Porquê porquê... :(
Desculpa mas custa-me sempre ua perda...mesmo que não vos conheça, sofro por mais essa perda...
Johnny Mary disse…
Tão chato... tão triste... tão injusto... lamento tanto... ninguém merece passar por isso!
Um abraço forte para eles!
Beijinhos para ti!
Madame Pirulitos disse…
Mais um beijinho. porque há coisas que não fazem sentido...
mãeee disse…
Os porquês, que mesmo que se queiram evitar, surgem sempre incontrolavelmente ...
um beijinho grande grande e um abraço que não deixe espaço para a dor