Divagações e contradições...

Disse a Dra. C., na última consulta, que todas as grávidas passam por três fases:

1- No início a da incredulidade, de não acreditar, por vezes, que há mesmo um bebé a crescer dentro de nós.
2- Depois vem a fase dos medos, em que começamos a pensar que alguma coisa pode estar mal com o bebé.
3- Por fim chega a do cansaço da gravidez e o desejo de que o bebé nasça rápido.

Pensando nas minhas experiências, parece-me que nunca passei por todas as fases...
Quando foi da Mariana realmente precisei da primeira eco para me convencer que era mesmo verdade, que tinha uma vida a crescer dentro de mim. Por inconsciência ou descontracção, nem sei bem, a segunda fase nunca a vivi e a terceira, por tudo ter corrido sempre tão bem, só chegou mesmo no final e apenas porque achei que, tão perto das 40 semanas, já estava na altura da miúda se despachar, durou apenas umas horitas esta última, pois a miúda resolveu concordar com a mãe!
A primeira fase nunca mais a vivi, bastou-me o teste para acreditar. Depois da primeira perda, a eco inicial passou a ter uma importância acrescida, não tanto para confirmar a gravidez mas para me assegurar que essa nova vida continuava a evoluir, que havia um coração a bater como deve ser.
À terceira aprendi a viver a segunda fase, que se instala logo depois do encantamento do teste positivo para me acompanhar, agora, até ao fim. Se desejo um bebé sossegado, que nos dê boas noites à semelhança da irmã, pode ser um bocadinho mais sossegada do que a mana grande nas etapas seguintes... agora quero senti-la em "revolução" aqui dentro! Por mais que saiba que eles dormem, por mais que saiba que nem sempre os sentimos quando mexem, o senti-la "aos saltos" dentro de mim dá-me alguma tranquilidade.
Logicamente, e atendendo a tudo isto, a terceira fase instala-se rapidamente. Não pelo natural cansaço da gravidez mas por outro tipo de cansaço, o mental, aquele que vem da ansiedade, mais ou menos controlada, que o medo nos traz. Por mais que queira aproveitar cada bocadinho desta gravidez, desta minha ultima barriga (embora o Dr. L. esteja sempre a falar no rapaz para daqui a dois anos), a vontade que o tempo passe rápido acaba sempre por levar a melhor. Porque preciso de a ver bem, no meu colo, porque sei que aqui dentro não controlo nada e tudo pode acontecer. Claro que cá fora também não controlo muito, claro que cá fora também tudo pode acontecer, mas com ela cá fora sinto-me mais segura, porque vejo, porque posso agir...

Bem, no meio disto tudo as hormonas também não ajudam ;)

Comentários

Johnny Mary disse…
Como eu te percebo... é exactamente assim, infelizmente, também sei o que isso é!
Mas vai correr tudo bem, vais ver :)

Beijocas
Ana disse…
vai continuar a correr bem com toda a certeza.

Bom gosto musical... aquela voz faz me sonhar :)

bjs
Madame Pirulitos disse…
Tudo o que dizes faz parte, ainda mais no teu caso e em casos como o teu. Mas isso tu sabes. O importante é tentares estar calma e a aproveitar este espaço para falar, reflectir, expôr o que sentes. Nós vivemos num mundo com demasiados contransgimentos e por vezes não dizemos o que sentimos porque temos medo de chatear os outros, de não estarmos a ser compreendidas, etc, etc.
Aproveita este espaço que é teu para dizeres TUDo o que quiseres.

Achei um piadão. O Dr L. quer-me lá em 2012 para a menina:):)
Rosalino disse…
É uma parte do mistério da gravides que estará sempre associada a essas fases.
O que interessa é que quer se passe pelas fases ou não.
No final tudo corra bem

E é isso que te desejamos.

Rosalino
kombi disse…
É bom saber que há mais alguém a sentir a pensar como nós, descreves-te tão bem.

Muitos pensamentos bons e que tudo corra bem.
V disse…
como te compreendo sinto-me exactamente assim, quero ver o meu bebe cá fora, não que não goste de estar gravida, mas sinto-me mais segura :)