sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Da consulta...

Gabriela: Tudo bem com a rapariga, que o Dr. L. apelidou de teimosa!!
Continua na média, ligeiramente acima, e já terá cerca de 1,385 Kg.
A vitalidade é mais que boa, a miúda não parou!! Ainda não está cefálica, mas para isso ainda tem tempo, agora está na fase das grandes cambalhotas, reviravoltas e espreguiçadelas. Ontem conseguiu estar com mãos e pés lá em baixo, a cabeça mais acima e o rabito encostado às minhas costelas, para pouco depois já estar tudo diferente!!
Já mostra ter muita vontade própria e, desde as 12 semanas, nada de mostrar a cara! Desta vez o Dr. L. esmerou-se e esforçou-se para lhe vermos a carita e conseguir uma bonita foto mas, mais uma vez, D. Gabi não colaborou...

Mãe: Continuamos com o problema da anemia que, ao que parece, só mesmo em países do terceiro mundo atinge estes valores!! Enfim, tenho que reforçar a toma do ferro, agora quatro vezes por dia, e mudar a alimentação: fígado três vezes por semana, carnes vermelhas muito e das outras só com sangue, agora é que vai ser comer cabidela ;), muito feijão, grão, ervilhas, lentilhas e parentes, rucula e agrião crus com sumo de limão, e outras coisas assim, porque, se estes valores se mantiverem, fui ameaçada de internamento para transfusão!! Medo!!
Mandou-me fazer a mala e lá vim eu com a lista da maternidade, sim, porque a mana já foi há muito tempo e a maternidade era outra. O problema é que ainda tenho tudo pela metade, ou menos, nada lavado, nada em ordem... Ai a minha vida!!!
Para finalizar, nada de grandes esforços e andanças, e eu com tanto ainda por fazer...

Voltamos em Novembro, já com o resultado das análises das 32 semanas. Até lá espero conseguir recuperar desta maldita anemia!!

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Week 29 e mais uma consulta

D. Gabi está bem e recomenda-se!

Pormenores amanhã, porque hoje a mãe já não dá para mais!!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Menos uma preocupação!!

Chegaram os resultados das análises e tudo dentro do normal, nada de infecção urinária nem de açúcar a mais.

Agora é esperar pela consulta e ver o que diz a médica.

 Ilustração de Monica Calvo

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Uau!! Já 200 dias de Gabi!?! :)

200 dias de um sonho cheio de emoções!

Esperança, medo, ansiedade, felicidade, ternura, amor, sustos, stress, alegria, incertezas, fé, acreditar e tudo o resto que faz parte de uma aventura assim, especial...


Lá estou eu e os números redondos ;)

Está dificil!!

O primeiro casaquinho que a Mariana vestiu foi feito por mim. Gostava que o mesmo acontecesse com a Gabi mas tenho um problema, não encontro lã cor de rosa que me agrade, é tudo muito grosso ou com tons de que não gosto...
Hummm... Por este andar, parece-me que a miúda pequena vai acabar por vestir o da mana!!!

Post algo parvo mas serviu de desabafo ;)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

E lá voltou ele...


O meu companheiro sempre presente voltou hoje, parece que com força redobrada.
Sim, cá está de novo o sono, a moleza, o cansaço!!

Humm... será que tenho que tirar as iscas do congelador? ;)

Ilustração de Monica Carretero

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Week 28 - Coisas de manas ;)

Enche-me a barriga de beijos e diz rapidamente: não te convenças mãe, que estes beijos não são para ti, são para a Gabi!
Encosta a boca à barriga e vai conversando com a Pulguinha, entre outras coisas vai ensinando/avisando: Gabi, é a mana que está a falar, é a voz da mana, mana, MANA. Já sabes, esta é a palavra passe para entrares no meu quarto!
Enfim, coisas de mana mais velha adolescente!

Mas eu gosto e parece-me que D. Gabi também!! ;)




Algo me diz, que a canção da Gabi será o Capitão da Areia de Pedro Abrunhosa ;)

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Uma questão de visão...

Afinal a barriga, que eu julgava estar tão grande, tão maior do que a da miúda pela mesma altura, até está pequena!!!
Hoje foi dia de ir à segurança social, tratar de assuntos em atraso e ninguém reparou que estava grávida! Menos mal, não tive direito ao tratamento prioritário mas acabei por ser atendida por uma pessoa verdadeiramente competente. Não se perdeu tudo e, em vez dos dois ou três assuntos que ia tratar, vim de lá mais esclarecida quanto a uma série de coisas, das quais nem me tinha lembrado. Assim vale a pena!

Ilustração de Anne Soline - Lili Gribouillon

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Relação de causalidade

Pulguinha Gabi mais sossegada = mãe mais stressada!!


E não há nada a fazer...

Às vezes a janelinha dava jeito ;)




 Ilustração de Marie Desbons

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Tolerância à glicose

Foi hoje o dia da análise. Depois da primeira hora e meia bastante enjoada, o resto até se passou menos mal, fora os desgraçados dos meus braços, que se viram transformados e coadores!!!!
Agora é esperar os resultados...

domingo, 17 de outubro de 2010

;)


E parabéns ao avô Z.!!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Week 27 - 3º Trimestre e análises pela metade!

Decididamente 5ª feira é um dia que me persegue...
Tinha pensado ir ontem tratar das análises mas acabei por adiar para hoje. Lá vou eu logo de manhãzinha, cheia de fome, pois não podia comer nas 6 a 8 horas anteriores à análise da glicose. Muni-me de umas revistas e um livro, é que desta vez ia lá ficar a manhã toda. Ia, pois, mas não fiquei! É que logo por azar, fui apanhar o laboratório em auditorias, não sendo prático fazer uma análise tão demorada...
Bem, nem tudo se perdeu, deixei a urina e essa parte já ficou despachada, agora há que pôr a Gabi em jejum mais uma vez e regressar para a semana, a ver se com mais sorte!


A gravidez está dividida em três etapas. O primeiro, segundo e terceiro trimestres. O primeiro trimestre começa na semana 1 e acaba na 14, o segundo abrange as semanas 15 a 26, e o terceiro as semanas 27 a 40.

Assim sendo, entrámos no 3º trimestre!! :)

Semana 27: Os pontapés começam a ser mais fortes à medida que o seu bebé também se torna mais forte. Deve sentir por volta de 10 pontapés num período de duas horas. Os pulmões do bebé crescem rapidamente.

Até pode ser mas não vou contar, seria mais uma fonte de stress e realmente há alturas em que ela mexe muito mais do que isso e outras que nem tanto, ou pelo menos eu não sinto, pois vai dependendo muito da posição do bebé bem como da atenção da mãe. ;)

(Informações daqui)

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Estados de espírito

Os meus andam "flutuantes", entre a alegria e a felicidade por esta vida que vai crescendo dentro de mim, e o medo e ansiedade que me vão acompanhando desde o inicio.
Os últimos dias têm sido de neura e uma certa impaciência. Estou cansada do stress e da ansiedade. O tempo é uma coisa estranha, pois parece-me, ao mesmo tempo, lento e rápido. Lento para ter a Gabi no colo e respirar de alivio, rápido porque tenho tudo por fazer e a vontade é relativa.
Pensei sempre que, com o avançar da gravidez, tudo iria ser mais fácil mas não é assim.
É tudo tão diferente agora do que foi da Mariana. Esta parece a primeira gravidez, sinto-me um pouco perdida, cheia de dúvidas e incertezas. Quando foi da Mariana havia muito mais calma, tinha muito menos dúvidas. Realmente somos uns seres estranhos.


Post confuso este, mas não faz mal, 
é um pequeno retrato do que vai cá dentro...

4 anos...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Escritos de outros, 4 anos depois...

Crónica do olhar que anuncia a morte

Doutor: É de olhares. É de olhares que eu preciso. Tudo o que o médico diz sem olhar é bula de medicamento. Papel fininho, dividido em oito partes, como instruções de montagem. Não... é de olhares que eu preciso. De um certo olhar. Preciso doutor, que o azul dos teus olhos me faça companhia, que a cor, que é do céu e do mar me traga a paz... não, minto, a planície onde se estenda tranquila a criança que trago nos braços. Percebo que desse lado da secretária, com os seus instrumentos e o seu saber, crie a distância que o preserve da dor, e que derrame sobre o meu filho prognósticos sem esperança, abanos de cabeça onde chocalha a impotência. Pare! Nos seus olhos receba-o e a mim, que somos um só. Doutor, o senhor é homem... não compreende... mulher e filho têm o mesmo caule, a mesma raiz. Não se iluda doutor, somos o mesmo, matéria ou espírito, somos o mesmo. O meu filho, doutor, não se esqueça, o Meu Filho. Por favor, olhe-me e no seu olhar prometa-me. Não, minto, jure pela saúde dos seus, que o saberei proteger, que viverá para sempre, criança sem mágoas junto de mim, que o meu peito é redondo como o céu, a minha pele sem ruído como o Mar. Jure que terá o conforto que o  meu ventre lhe prometeu. Mais, muito mais; que o meu ventre lhe jurou. Sim, porque dentro de mim existia um oceano, e a parede do meu útero era um universo sem estrelas, noite perfeita, que as estrelas, às vezes, não deixam dormir. Doutor, ele cresceu dentro de mim. Não anuncie desgraças, privações, troças, desamores. O meu corpo é um casulo, dele só nascem borboletas. De asas brancas, claro, como as dos anjos. Não, não há pernas tortas, nem movimentos sem graça. Apenas crianças eternas, em paz no meu seio, no meu ventre, nos meus braços. Não se esqueça, doutor, peço-lhe! É de um olhar que eu preciso. Cale-se, não fale, não anuncie tempestades, furacões, não me afunde na tristeza sem retorno. Conhece o poço doutor? Já se debruçou? Conhece o fundo negro onde se reflecte a minha cara? Onde o eco da minha voz, ao repetir-se se apaga, como o tom do som sem vida. Tire-me daí, doutor. Faça cumprir a promessa de criança sem mácula. O meu ventre foi papel e lápis, o meu amor a inspiração de artista, a minha juventude a certeza de que se houvesse nuvens, todas seriam brancas, diáfanas, como vestidos de noiva. Perceba, doutor, eu sou a terra, e de quem mim nasça, canta no coro da igreja, loura e sem pecado, louvores ao criador que, de tão perfeito, em gestos precisos, sem hesitações, desenha às crianças futuros sem trevas. É de um olhar que eu preciso, doutor. Um olhar como tela de cinema que projecte a minha esperança, a certeza de um mundo que não se afasta do jardim, que na minha barriga guardei, pequenino é certo, mas tão completo, que dia e noite nunca lá ouvi chorar. Quem veio de país tão misterioso, (as pessoas não sabem, mas a minha barriga é aquele país distante onde vivem príncipes sem medo, e princesas de cintura fina e virgindade guardada), decerto crescerá sem mazelas que um beijo não console, sem rodas vivas que o meu olhar não ampare, sem que se interrompa a minha promessa eterna de mulher. Não, de mãe, que ser mulher, é apenas uma desculpa, sim, uma desculpa para ser mãe. O senhor não sabe, não conhece... Não, doutor, não olhe assim para mim, não anuncie dores, mortes, imperfeições. Não finja saber o que de todo desconhece. Alguma vez sentiu, dentro de si, a vida que justifica a vida. Não, agora a sério... Doutor, que sabe o senhor da vida, se nunca, dentro de si, ela cresceu? Doutor, não se engane! Feche os livros, ria da ciência, confesse ignorância, não zombe do milagre. Há dentro de mim muito mais do que pode compreender. Desculpe, sim... é homem... Ponha para lá o mau agouro, afaste de mim o seu olhar gélido com o azul de pólos árcticos, donde sopra o frio, vento e nada e diga-me, doutor, se alguma vez dos seus olhos nasceram rosas? Da sua barriga se abriram folhas, cresceram pétalas, espantos e encantos? Risos sequer? Mãos de criança? Diga, doutor, já alguém se alimentou do seu seio, e, farto, adormeceu? Alguma vez dos seus olhos nasceu o Sol? Doutor, se dentro de si nada que se pareça com um jardim alguma vez brotou, se dentro de si nem risos nem choros, nem olhos nem mãos, nem esperança nem dor, nem nada do que nesta vida merece ser celebrado, alguma vez brotou, tire a gravata, doutor e por uma vez, peço-lhe, cale os seus olhos.

( Nuno Lobo Antunes - Sinto Muito)

Faz quatro anos ouvi o que não queria da boca do médico, depois, por uns motivos ou por outros, a experiência foi-se repetindo... Há momentos em que não é fácil ser mãe!...

domingo, 10 de outubro de 2010

Um lanche muito "british"

Foi o meu e o da miúda.
Faltou-lhe o chá mas os scones estiveram presentes. Experimentámos uma receita nova e que bons que eles estavam!
Ultimamente cozinhar não tem sido comigo, ou porque não sei o quê, o porque o cansaço ataca, ou porque a azia não ajuda, ou porque... Mas estas coisinhas assim, estas guloseimas, essas sim, apetecem ;)
Ilustração de Louise Morgan

Se estivesse nas minhas mãos...

Sim, se estivesse nas minhas mãos, tudo seria diferente!
Porque, filha, nada me faz mais feliz do que ver-te a ti feliz!

Ilustração de Johanna Wright

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Week 26 - Medos e Movimentos

Tem dias que D. Gabi faz autenticas revoluções na barriga da mãe, tem outros que mal se sente... A miúda pequena ainda tem muito espaço e, como disse o médico, ainda vai dar muitas cambalhotas!
A mãe fica feliz por a sentir mexer, gosta menos quando não a sente tanto mas que fazer? É mesmo assim e D. Pulguinha já vai tendo as suas coisas!
É "engraçado" como esta coisa dos medos se reflecte em todos nós, afinal, mesmo mantendo-se mais caladitos, um porque é homem e eles funcionam assim e a miúda porque não queria ver a mãe triste, os medos estavam lá... A miúda volta e meia vem ter comigo e pergunta: Mãe, sentiste a Gabi?, fica feliz quando lhe digo que sim. O home surpreendeu-me um dia destes com uma tirada muito dele, ao lhe dizer toda contente: tenho aqui uma pulguinha aos saltos, responde ele todo preocupado: não gosto muito disso, pode enrolar o cordão... Enfim, lá lhe disse para não pensar nisso, afinal tanto eu como a Mariana nascemos com ele enrolado e cá estamos sem problemas de maior!
Resumindo, estamos todos ansiosos que chegue o dia de ter D. Gabi no colo!!

E esta é a fase da mana, que bem que rola os olhos acompanhando sempre com algumas expressões como: Mãe, poupa-me!  Pelo menos vou-me preparando para quando chegar a tua vez ;)


quarta-feira, 6 de outubro de 2010

As compras da mãe!



Este foi com ajuda do pai!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

+ um número redondo

Num dia cheio de história

Tanto no que se refere à Republica, que comemora o seu centenário, como à Monarquia, que celebra o tratado de Zamora e o momento da nossa independência, aqui fica um Mutts para descontrair...

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Os primeiros presentes para a Gabi

Aqui vão eles, por ordem de chegada!

Este nem preciso dizer de onde vem mas cá fica: da miguita lunar!
Agora dos avós!

Cor-de-rosa, por exigência do avô :)
De outra miguita, desta vez do T3!
E agora um repartido entre a mana e a miguita lunar ;)

sábado, 2 de outubro de 2010

Hoje é dia deles!




Adenda: Não fui mas foi como se tivesse ido, vieram eles até cá ;)

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Constatações...

Dizia a miúda, num dia destes, com um misto de espanto e satisfação: Já estou no 9º ano!!!
Pois é, o tempo corre, não, voa! E a essa mistura de sentimentos, a esse espanto e satisfação, a mãe junta alguma ansiedade e muita saudade.
Sim, é bom vê-la crescer, vê-la começar a ter consciência de um futuro para além do "amanhã". O nascer das primeiras ideias quanto ao percurso a seguir, dos primeiros projectos a mais longo prazo. Mas junto com tudo isto, chegam também aquelas coisas de mãe, que a vai sentindo sair debaixo da asa, o aviso de que, mais cedo ou mais tarde, lá estará ela a voar com as suas próprias asas. E chega aquela preocupação de "mãe galinha", que sei que sou, que apenas quer que tudo corra bem  e que a miúda consiga e saiba ser FELIZ!

Ilustração de Amélie Thiebaud