Olá meu amor pequenino

Tantas saudades minha querida!!! Porque as tenho sempre, apesar das manas. Sim, elas são importantes, muito, tanto, mas tu também me fazes falta, tanta, tanta...
Ainda me dói tanto meu amor, mas tanto, o não ter sabido, ou podido, tomar conta de ti, proteger-te, fazer-te feliz.
Dói-me o vazio que sinto de ti, do teu calor no meu colo, do teu cheirinho de bebé, de tudo aquilo que sonhei fazer contigo e nunca vivi.
Queria dizer-te tanta coisa...
Como serias tu? Não te vi fora da minha barriga, faltou-me a coragem. Perdida entre o querer e o não querer, o medo do que podia ver e a vontade de te guardar intacta, como te via nas ecografias, deixei passar o momento e a última "imagem" que tenho de ti é de sensações, é de outros.
Nunca esquecerei o momento em que te senti escorregar de dentro de mim e o vazio que se instalou. Nunca esquecerei a imagem da enfermeira a espreitar para dentro do lençol que te apanhou, pedindo-me desculpa por ter sido assim, sem tempo para mais, e eu desculpando a culpa que ela não tinha, consolando-a enquanto me sentia inundada por sensações contraditórias, baralhadas, e tão vazia. Não estava preparada para te deixar ir...
E... minha querida, a mãe decidiu certo? Sim? Sim?...
Não sei... Quantas vezes sinto a dúvida assaltar-me... Chega de mansinho e instala-se, enchendo-me o coração de angústia.
Ai querida, não era isto que eu queria! Lá estou eu nas minhas divagações, quando a minha intenção era apenas dizer que me fazes falta, que te amo muito.
Gosto-te minha filha, minha Matilde. Gosto-te muito, tanto, para lá do infinito!!
Beijos cheios de saudade daqui até aí...
Mãe

Comentários

Célia disse…
A culpa...porque será que a sentimos sempre??? vai e vem… mas está aqui, e ao mais simples pensamento vem logo ao decima…mesmo sabendo que não a temos... As saudades?? Essas não tem fim, não cavem no coração...no inicio sempre pensei que a dor passaria, que com o tempo as coisas melhorariam...mas hoje não tenho essa certeza, a revolta atenuasse, mas o nosso mundo fica tão do avesso, que é muito difícil.. é quase impossível sobreviver….Um beijo muito especial
Mami ( Sónia ) disse…
Nem imagino a dor que sentes ao recordar. Mas não tens culpa de nada linda! de absulatamente nada. a vida é que por vezes é muito injusta.
Um beijo enorme cheio de mimo só para ti e aquele abraço carregado de carinho.
Autora de Sonhos disse…
Pois...entendo-te tão bem! Também tenho uma Matilde na nuvem "M", devem estar juntas as duas....
A dor da saudade é imensa, cruel.
por vezes também sinto esse mansinho de culpa, apesar de saber que em nada podia evitar...
Um dia de cada vez.
Sabes...cada vez mais acho que amar um filho numa distância cruel daqui até ao céu é para quem tem uma enorme capacidade para isso.
Beijinho
Anónimo disse…
Entendo tudo muito bem mas enquanto estiveres sempre a remexer no passado não conseguirás avançar nem tu nem as tuas filhas e isso não é justo para ela ! Um bj
Rosalino disse…
Pensamentos que estarão presente pela tua vida fora. Momentos que por serem tão intensos , nunca irão nem poderão ser esquecidos.
Pois entre eles está um sentimento que por mais que queiramos, nunca se esbaterá.

Mas uma coisa é certa.
Quando o Amor é assim tão intenso, o perdão é um caminho que tem de ser paulatinamente percorrido.

Exige muita força interior. Mas fortalece-nos.

Rosalino
mãeee disse…
Tantas saudades do que não se viveu fisicamente, mas tanto se sonhou... tanta dor porque há 'ses' na vida e encruzilhadas que nunca nos deviam ser colocadas enquanto mães.
Tanto amor que se sente pela Matilde, um anjo colorido e sorridente que a todos protege e acaricia com a brisa do ar e o calor do sol
Tanto que fica por dizer, num caminho grande a percorrer

Beijo grande imenso em todos, desde a Terra até ao céu. Até à nuvem M.
Alex disse…
Por mais que custe e com muitas dúvidas, fizemos bem. Ela não sofriria muito mais se continuasse? Eu acho que sim e tu também. Por isso não precisamos de ter remorsos, mas a saudade teremos sempre, para mais a Matilde (como indicava) seria uma gurreira. um grande beijinho pequenita!
juliana disse…
Ai amiga como te entendo,minha vontade era poder te abraçar,ficar pertinho de ti e dizer que meu coração também dói,sangra e compadece do mesmo sofrimento que ti.
Sei que não consola,mas foi sua pequena Matilde que nos aproximou a vc tem sido tão importante pra mim desde então.Gosto muito de vc, um bjo grande com carinho!
Madame Pirulitos disse…
Um grande, grande, grande beijo.

Se os pensamentos chegam e nos atropelma, por vezes temos de saber mandá-los embora e outras d elidar com eles.
Não te culpes também por não quereres pensar nisso. Sinto que há uma parte de ti que até queria poder proibir-se de pensar mas vem sempre a culpa, sempre a culpa. Como se não querer pensar fosse esquecer.

Então fica para ti o meu beijo, agora que vivo medos, muitos medos. Medos normais mas mesmo assim complicados.
Pipoquinha disse…
Fica sempre a mágoa...a dor de não teres visto aquela princesa.
Mas tens de seguir em frente, pelas princesas que tens contigo...
eu sei que é fácil falar...mas não temos nenhum botão para desligar...
Um abraço apertadinho de quem sabe bem do que falas...
Pipa disse…
Um beijo grande Maria!
Por vezes a vida obriga-nos a passar por situações que nenhum de nós desejaria, mas atendendo ao que tiveste que passar naquele momento acredito que as decisões tomadas foram as mais acertadas.

Um beijo grande.
PauLLa disse…
Minha linda NUNCA te culpes...
Pk nao tiveste culpa de NADA!!!!
A vida é mesmo assim, e foi o melhor....
Resta a lembrança e as memorias que ficam nas nossas vidas pra sempre....
E em resposta ao Anónimo, este 'passado' tem que ser remexido pra sempre
E sim, faz bem falar e relembrar!!!

Bj gd minha querida
FORÇA