sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O post que na altura não consegui escrever...

Há um ano não quis falar muito nisso aqui, talvez por receio de transformar em palavras os medos que me povoavam tornando-os, assim, mais reais.

As férias tinham sido vividas até aí, num misto de descontracção e alegria mescladas da ansiedade que tentava afastar,  mas que a incerteza se encarregava de manter por perto. A angústia da espera pelo telefonema prometido, aquele que me iria dizer, com toda a certeza pois outra coisa não era possível, que tudo estava bem, que podia, finalmente, descansar, alimentava esse medo que me acompanhava.

O telefonema chegou e, mais uma vez, soube o que era "perder o chão" e viver o desespero...

- Quando volta?
- O mais tardar na terça feira...
- É que o rastreio deu positivo...
- Como positivo?
- Sim, para trissomia 21 no valor de 1/350. Precisa fazer a amniocentese.
- Mas como positivo? Porquê se tudo estava bem nas ecografias?
- Por isso mesmo não pode perder a calma, tem que acreditar.
- E que esperança posso ter?
- Bem, atendendo ao resultado, que está no limite, e às ecografias, pode ter cerca de 80% de esperança de que tudo correrá bem.

Está bem, 80% é bom mas 20% é imenso!!! Naquele momento até 1% seria sempre demais, porque não podia estar certo, porque não podia ser positivo!!

E chorei, chorei, chorei... Agarrada à barriga, agarrada àquele bebé que queria com todas as forças, que amava sem limites. E chorei por ela, por nós e pela Matilde, pelo reviver de um pesadelo que se repetia, que não queria, que não podia voltar a viver.

Ficámos juntos os dois, apoiando-nos na dor e tentando guardar a esperança que não queríamos perder... Falámos, falámos muito e decidimos... decidimos que aquele bebé vinha desse lá por onde desse, assim fosse essa a sua vontade, e preparámo-nos para tudo.

A memória deste dia não é possível apagar. A angústia vivida foi demasiada para deixar esquecer, o que também não quero fazer, pois cada momento, cada acontecimento, por pior ou melhor que seja, faz parte de mim, de quem eu sou.

Felizmente tudo acabou bem. O resultado da amniocentese veio negativo e trouxe com ele a certeza de que era mesmo uma menina que vinha aí, a Gabriela. Um sonho tornado realidade, o renascer da esperança!


9 comentários:

juliana disse...

Post difícil até de ler, mas com um final feliz, tão feliz, um sonho!

Pipa disse...

Díficil mesmo... eu li ontem, e não consegui comentar...
Mesmo hoje não sei o que dizer...
Força! És uma grande mulher e Deus recompensou-te com uma linda menina!
Bjs grandes!

Mami disse...

Nem imagino como te deves ter sentido nessa altura com o mundo a tirar-te o tapete.
Felizmente não passou de um susto terrível e agora está tudo bem!

Lia disse...

Muito dificil. Nem sequer imagino.
Mas tudo correu bem, não foi fácil mas valeu bem a pena!

Mamã do Dinis e do Manel disse...

Por vezes a vida prega-nos umas rasteiras das quais pensamos não ter força para recuperar. Felizmente esse episódio não passou de uma nuvem negra que passou e deixou a descoberto um sol maravilhoso.
Vocês mereciam um sol assim. Bjs grandes!

Autora de Sonhos disse...

Querida...não passei por isso, passei por outro medo, quando chegaram à conclusão que tinham trocado o meu processo com outra gravida.
Beijinho...e já passou! E graças a Deus...tudo bem!!!

Madame Pirulitos disse...

Um beijo grande, grande, grande!

Pipoquinha disse...

Eu estou à espera do resultado do meu rastreio...há alguma ansiedade mas também muita esperança...

Beijo grande

Alexandra e Pedro disse...

Um grande grande Beijinho Maria.