terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Choosing to become a parent is the hardest thing I have ever done


Having a child is a lot like running a marathon. An incredible challenge, but a worthwhile and transformative experience. It leaves you feeling like you truly accomplished something for all that effort. After all, you've created something kind of amazing: a person.


Muito bom! Vale a pena ler Jeff Atwood em On Parenthood 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Gula

Sou gulosa, confesso!
Dietas não são comigo, que só de pensar nelas apetece-me logo comer o que não devo. Enfim, não tenho disciplina para isso e, se noutros aspectos até me tento disciplinar, aqui nem quero saber (o pior é o colesterol, que às vezes prega a sua partida, mais um motivo para ir adiando as análises...).
Isto serve apenas para dizer que, passeando por aí, encontrei estas e não resisto, vou ter que as fazer...


É por estas e por outras que vou ouvindo um "Ó mãe, não tens mesmo pena de mim!!" ;)

Imagem e receita aqui

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Planos, trabalho, prazos e bebés

Tinha tudo planeado para hoje, porque o trabalho é muito e os prazos apertam. Mas já se sabe que planos, trabalho e prazos não conjugam com bebés. E assim foi, sua excelência, Dª Gabi, resolveu que hoje brincar no parque não tinha graça, e ainda achou por bem deixar a sesta para amanhã!



Registe-se aqui

Que hoje o meu mano está de parabéns!!!


quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Até amanhã


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Por aqui

Tenho andado assim...

Hoje melhor :)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Coisas minhas

Ontem teve o condão de me tranquilizar relativamente a alguns assuntos, por isso veio comigo. Não significa que concorde com tudo mas já está lá, junto à cabeceira, para qualquer eventualidade.


E o melhor é que é um dois em um e serve para as duas!

Coisas de sapatos

Não, não é mais um post de moda ou algo parecido, é apenas um relato monótono de uma ida às compras de mãe e filha, neste caso a mini e eu.
Pois que ontem lá fomos comprar os primeiros sapatos de andar para a Gabi, e não foi fácil!! Parece que não é suposto bebés pequeninos poderem andar, é que não há número inferior ao 18 em sapatos próprios para o efeito (se há não consegui dar com eles, nem ninguém me soube indicar onde os arranjar). Ora D. Mini é pequenina, pois é, mas  é também, felizmente, elegante e proporcionadinha, logo tem pé pequeno e não calça o 18, pelo menos não o da Chicco!
Já cansada de ouvir tantos "ah e tal, já lhe digo que vai ser difícil, é que inferior ao 18 só mesmo sapatos para gatinhar...", larguei um que para gatinhar não são precisos sapatos! Está bem, reconheço, não foi muito simpático, mas bolas, então quem é pequenino não tem direito a andar calçado?!?
Enfim, lá lhe arranjei uns sapatos na Zara, dentro da pouca escolha que havia. Não são uma beleza, são de rapaz e não me importo nadinha. E sim, são o 18, mas um 18 pequenino que até lhe ficou bem, de tal forma que saiu de lá já com eles nos pés.

Ideias giras



Vi aqui e gostei :)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Dream


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Maternidade VI


Angústias

Sei que a notícia já tem uns dias mas tenho andado a remoe-la, porque há notícias que não deviam ser notícias, simplesmente porque não deviam acontecer.
A necessidade que centenas de pais estão a sentir de abandonar os seus filhos, de os entregar pois já não têm condições para tratar  deles, traz-me uma angustia imensa e um aperto no coração. Haverá desespero maior? A mim matava-me...
Não, não estou a falar de um universo paralelo, nem de qualquer romance ou filme de ficção, estou a falar da Grécia!



E o pior, é que já estivemos mais longe de ver isso acontecer por cá... 




Foto aqui


segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Dias com sabor especial

Foram os deste fim de semana.


Aproveitando os anos da mini e os da mãe, fomos festejar para sul e foi muito bom!

sábado, 14 de janeiro de 2012

Hoje é o meu dia :)

To me!!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Só pela data ;)


Ilustração de Mónica Carretero (sou fã!!)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Há dias em que me canso de mim mesma!

Este foi mais um deles. Fico tão fartinha destas minhas desatenções e distracções, mas tão fartinha mesmo!!
Pois que tinha consulta da Gabi no pediatra às 15:00h, pensava eu, e lá ia toda contente, convencidinha que até ia chegar bem cedo, quando me telefonam a perguntar se a Gabriela não ia à consulta, pois estava marcada para as 14:30h!!
Bem, corrida para lá, o que vale é que já ia a meio do caminho, e lá fomos nós à consulta. Claro que, com toda esta correria e stress, me esqueci de grande parte do que queria falar com ele. E assim lá venho eu sem saber que tipo de sapatos a Gabi deve usar (também não haverá grande escolha, porque para o tamanho dela praticamente não há nada!!) e outras coisas mais.

No final está tudo bem com a mini. Mantém-se no seu patamar ligeiramente abaixo do percentil 5, com 7.800kg e 68,5cm, mas o importante mesmo é que a curva se vai mantendo regular.
Pior foi saber que há um sonzinho que não devia haver, parece que a mini tem um sopro. Nada de preocupante, diz o médico, mas para despistar e descansar vai fazer uns exames.
E pronto, tenho uma mini que é mesmo mini, e que, segundo o médico, por isso mesmo vai fazer sucesso agora a andar!



terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Done!


Já estava pronto há algum tempo mas a preguiça de tirar foto...

domingo, 8 de janeiro de 2012

Here's a little heart for you


Só por que sim :)

sábado, 7 de janeiro de 2012

True!


E faz um ano que chegaste a casa :)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Gabriela - 1 ano

A Gabriela não nasceu quando quis mas quando a fizeram nascer. E aconteceu assim para descanso de todos e grande alivio da mãe. Não que não gostasse de estar grávida, pois até tenho saudades desses dias, não que não soubesse que a escolha dela seria sempre melhor, porque seria, mas pelo medo, o medo que algo pudesse correr mal naquela ponta final.
Até às 38 semanas tudo ia bem, a anemia estava controlada e apenas a tensão andava tipo carrossel. Apenas, pois, e este apenas tornou-se num problema. O percentil da Gabriela desceu a pique, a tensão passou a modo crescendo e a maldita proteína lá apareceu na urina. Perante este quadro, a mãe teve ordem de ir às urgências da Maternidade logo de manhã, mesmo o CTG não registando ainda qualquer contracção.
Foi uma noite calma, embora acompanhada daquele friozinho no estômago e uma pontinha de ansiedade, afinal esta podia ser a última noite da Gabi dentro da barriga da mãe.
Pouco depois das 7:30h da manhã, do dia 4 de Janeiro, estávamos a sair de casa. Deixámos a Mariana na escola, com a promessa de um telefonema assim que houvesse novidades, e seguimos para a Maternidade de onde, apesar de tudo estar dentro do normal (ctg, tensão e urina), já não saí.
Deu-se início ao processo de indução, primeiro para o amolecimento do colo do útero e depois, lá pelas 15:00h, o medicamento para desencadear as contracções, que entretanto já se iam fazendo sentir.
A mini, teimosa desde a barriga, queria estar de barriguinha para cima, o que em nada facilitou todo o processo, a leitura do ctg foi um tormento e a mãe tinha que estar em posições bem incómodas (a juntar às contracções cada vez menos amiguinhas).
Lá pelas 17:00h, nem sei bem pois perdi completamente a noção do tempo, levaram-nos para a sala de parto. Desta vez disse que sim à epidural sem nenhuma exitação, e, no meio de uma conversa profunda sobre unhas que gel, que teve o condão de me distrair e até fazer rir, lá ma administraram e posso dizer que foi muito bem vinda.
Tudo indicava que seria um parto rápido e fácil, por isso coube à enfermeira tratar dele. A acompanhar-nos estava também o dr. B., sempre presente, e a médica das urgências, que nos "adoptou" pois achou graça ao facto de a filha ter o meu nome. Na minúscula sala de partos ainda estava mais gente e, claro, o pai. Estava nervoso, achando que atrapalhava quis sair mas nada feito, dr B. deu-lhe ordens para ficar e eu também!
No meio do meu medo de já não saber fazer as coisas, e da tirada de que era como andar de bicicleta, lá chegaste tu. Eram 19:40h quando te deitaram em cima de mim. Uma coisinha tão pequenina e que não chorava. Assustei-me. Então abriste os olhos e choraste, o suficiente para acalmar o meu coração aflito. O pai, feliz, sacou do telemóvel e guardou o momento para sempre. É uma fotografia desfocada, sem técnica nem qualidade, mas tão cheia de amor que a torna única e perfeita!
O que senti? Não é fácil transformar em palavras sentimentos tão avassaladores. Lembro-me do silencio, pelo menos aquele que se fez em mim, pois a partir do momento em que te puseram em cima de mim, tudo o resto se apagou e eras só tu e eu. Quando abriste os olhos e os colaste nos meus encheste-me o coração e tomaste posse completa de mim. Sou tua por inteiro, como também sou da mana, porque coração de mãe não se divide, multiplica-se!

Muitos Parabéns, filha, por este 1º aniversário!!


Gosto de ti, para lá do infinito!!

Pois... :)


terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Em contagem regressiva

Há uma ano estava frio, se chovia ou fazia sol já não sei, mas frio fazia.
Há um ano fiz o último ctg. Registou um bebé cheio de actividade e um coraçãozinho a bater como devia, mas nada de contracções.
Há um ano a tensão estava alta e uma malvada proteína dava ares da sua graça.
Há um ano saí do consultório com um envelope e ordens para me dirigir às urgências da Maternidade, na manhã do dia seguinte. No envelope ia toda a nossa história de 38 semanas e uma carta. Nessa carta indicava-se a necessidade de indução, caso tudo se mantivesse igual.
Há um ano instalou-se em mim um nervoso miudinho e a quase certeza de que a mini estava mesmo a chegar. Era aquela ansiedade do "já falta pouco para te ter no colo" e, ao mesmo tempo, uma vontade grande de adiar o momento e viver-te mais um pouco aqui dentro.
Há um ano ainda estava assim...

A última foto da barriga :)

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

...

domingo, 1 de janeiro de 2012

;)