Coisas minhas

Todos os dias, ou quase, escrevo uma infinidade de postes mentais mas, ou porque não calha, ou porque a vontade de ligar o computador e de me sentar aqui, ao fim de um dia de trabalho e tudo o que faz parte, me abandona deixando o cansaço vencer, não passam disso mesmo, postes mentais. E é pena, porque vai ficando tanto por registar, porque este espaço vai ficando mais abandonado.
Por outro lado, não deixa de ser um reflexo daquilo que é a própria vida, surgido num momento em que a necessidade de escrever e desabafar era grande, foi-se mantendo e registando os altos e baixos que fui / fomos passando, os momentos bons e os menos bons. Depois deu-se uma viragem e, com ela, a pouca vontade de falar no que quer que fosse.
Aos poucos a vida foi-se recompondo, sem sair de uma espécie de equilíbrio precário que, ao que parece, vai acompanhando tantos de nós, mas, seja como for, levou um outro rumo, a opção foi não baixar os braços, seguir em frente e adaptar-me a uma nova realidade. Tudo isto exigiu, e exige, deixar muitas coisas de lado, umas à espera de serem retomadas outras abandonadas definitivamente, e este espaço não foi excepção, também ele deixado mais de lado, embora nunca completamente abandonado, vai continuando assim, ao ritmo da vontade, ao ritmo da vida...

E só para registar e mais tarde lembrar, aos 23 meses dizias (para além do que já aqui tem ficado registado):

Nama passou a Nana - mana
Ó - avô / avó
Óia passou Óie - olhe
Tai - tome
Có - copo

Hoje começaste a dizer: Tá - batata

Da consulta dos 2 anos, no Centro de Saúde, veio o veredicto de que continuas pequenina mas está tudo bem contigo.

Comentários

Rainha disse…
Também eu deixo tanto por registar. Post mentais não me faltam mas na verdade acabam por ser só isso mesmo. Beijinho
Chris ♥ disse…
Só lamento o que fica por registar porque sei que a minha memória mais cedo ou mais tarde me irá trair. Tento, da forma que me vai apetecendo registar o máximo de informação possível!!!!
Beijinho